.

Divagar devaneios.
Diálogos doces devem durar dias…. devagar.
Derreter dores em discursos delicados.
Desculpe, duvido daquele distinto que diante disso diz: Doida!

Dó!

Distinto, o destino descasca durante décadas e depois de doses de descaso dirás que devaneios devem dividir as despesas do dia a dia: diplomas, dores, desejos, distância, dívidas, dúvidas, dinheiro, descanso, desilusão… detalhes que o devaneio dividido dilui.
Deus dá dias, e dicas, deixa ao deleite daqueles dedicados a descontração do deixar dançar as dores entre as doçuras do diálogo.

Durante decisões determinantes, distinto, devanear é dádiva!

S.S

.

*

. Texto por Salinê Saunders – Por escrito, por favor .

. Fotografia de capa por Sem território .

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s