.

Caminhar sempre foi a melhor forma de se deparar com os detalhes invisíveis das ruas.

Passo a passo, e o óbvio que sempre esteve ali, torna-se de uma beleza indizível aos olhos.

Poesia é isso.

É o susto, o baque, a queda na beirada da calçada por onde sempre caminho.

O estranhamento de um detalhe que sempre esteve ali, e que nunca tinha sido visto.

.

.

.

 matinhos/ pr/ brasil/2016

*

Poesia e foto por: Sem Território.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s